sábado, 5 de novembro de 2011

Os 8 Sabás da Roda do Ano



Os 8 Sabás da Roda do Ano

Ostara – Hemisfério Sul, entre 21 e 22 de Setembro (noite do Equinócio de Primavera).

Descrição
Sabá dedicado a uma Deusa anglo-saxã da fertilidade chamada Eostre, que significa "a Deusa da Aurora", da ressurreição e do renascimento. Neste Sabá oferendas de pão e bolo eram feitas a Ela. Também conhecido como Ostara, ou Sabá do Equinócio Vernal.
Trata-se de um festival solar que marca o momento do ano em que o Sol viaja diretamente acima do equador, fazendo com que noite e dia tenham igual duração. Nesse dia, escuridão e luz são precisamente iguais; então, esse Sabá traz sentimentos de equilíbrio e interação. Desse dia em diante o dia dominará a noite, ou seja, os dias serão mais longos que as noites e a Terra explodirá com vida.
Este é o tempo para rituais de fertilidade, momento no qual a vida se renova. Esse é o momento de plantar, essa também e hora de cultivarmos nossas "sementes" (metas e objetivos). É o período de celebrar as mudanças de nosso corpo, pois nessa estação do ano ficamos mais ativos, dormimos menos, comemos menos e gastamos mais tempo ao ar livre.
Na agricultura, sinaliza o tempo em que as sementes são plantadas e começam seu processo de crescimento.
Um momento de união e amor entre a Deusa (Lua) e o Deus (Sol), devido a sua ligação com equilíbrio entre as forças da Natureza.
Indica também que é o momento ideal para fortalecer as energias complementares.
Segundo as crenças Wiccanianas, em Ostara o Deus (Sol) cresceu, tornando-se um jovem adulto. Ele está passando pela puberdade e suas forças são refletidas na vitalidade e no crescimento das plantas, crescendo novamente e com esta vitalidade vem o calor da Primavera e o futuro plantio das futuras colheitas.
A Deusa não é tida mais como a Mãe nutridora, mas como uma bonita Virgem da Primavera.
Nesse dia, os antigos Pagãos da Europa acendiam fogueiras nos cumes de montanhas, pois eles acreditavam que o brilho do fogo seria capaz de tornar a terra frutífera e manter suas casas em segurança, o Fogo aceso também simbolizava iluminar os caminhos para que o Sol pudesse retornar a Terra.
A primeira e mais preservada Tradição Pagã deste sabá é a de decorar ovos. O ovo simboliza a fertilidade da Deusa e do Deus, o símbolo de toda a criação. Ao decorá-los, estamos carregando-os como se fossem (e realmente passam a ser) Objetos Mágicos, de acordo com as cores e símbolos que utilizamos. É uma Tradição também esconder os ovos, e achá-los simboliza que a pessoa alcançará suas metas.
Outro símbolo tradicional deste sabá é a Lebre, posteriormente igualado ao Coelho e assim chamado pelos cristãos: “Coelhinho da Páscoa”, trazendo a idéia de fertilidade que este animal sempre teve, pois eles levam 28 dias para gerarem e darem a luz seus filhotes, e 28 dias e o ciclo completo de uma lunação.
Assim como outros antigos festivais pagãos, após o fim da Idade Média, o Equinócio da Primavera foi cristianizado pela Igreja Católica na Páscoa, que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. A Páscoa (em inglês "Easter") tem seu nome derivado desta Deusa anglo-saxônica da fertilidade, Eostre.
Até hoje, o Domingo de Páscoa é determinado pelo antigo sistema do calendário lunar, que estabelece o dia santo no primeiro domingo após a primeira lua cheia, no ou após o Equinócio da Primavera. (Formalmente isso marca a fase da "gravidez" da Deusa Tríplice, atravessando a estação fértil.) E como se pode notar também a Páscoa, como todas as festividades religiosas cristãs, são enriquecidas com inúmeras destas características; costumes e tradições pagãs, como os ovos de Páscoa e o coelho. Os ovos, como mencionado, eram símbolos antigos de fertilidade oferecidos à deusa dos Pagãos. A lebre era um símbolo de renascimento e ressurreição, sendo animal sagrado para várias deusas lunares, tanto na cultura oriental como na ocidental, incluindo a deusa Ostara, cujo animal era a lebre.
Conta uma lenda que um gentil Coelhinho pedia favores a Deusa e em troca botava ovos, decorava-os e presenteava Eostre com eles. Ela ficou maravilhada com a beleza dos ovos e ficou tão contente que desejou que toda a humanidade pudesse compartilhar de tamanha beleza e alegria. Assim, o Coelho começou a viajar por todo o mundo na época do Equinócio de Primavera, presenteando a todos com seus ovos decorados.
Pagãos costumam decorar seus altares com flores frescas, frutas doces e ovos coloridos. Em seus rituais é costume ter muitas crianças. Todos pintam ovos cozidos que são depois atirados nas fogueiras do ritual ou enterrados aos pés de uma frondosa e frutífera árvore.
Nesse dia, os antigos europeus iam até o campo para colher flores e as levavam para casa, pois acreditavam que as flores colhidas no Equinócio de Primavera eram Mágicas e, através delas, seriam capazes de conectarem a energia de toda a Natureza. Essas flores eram secas e com elas eram feitos ornamentos para enfeitar as casas, até Ostara do ano seguinte, em que eram trocadas por novas flores, assegurando assim a continuidade de sorte, saúde e felicidade.
Mini-mito drama
Conduza uma visualização aos seus convidados com um instrumento rítmico levando-os a uma viagem e não se esqueça de trazê-los de volta ao aqui e agora.
Fechem os olhos e sentem-se em uma posição confortável.
Vocês estão sentados em um troco velho e úmido. Vejam como tudo em volta de vocês é silencioso e meio triste. Veja as árvores sem folhas. Lagos congelados começando a derreter.
De repente passa por você um coelho, que um tom bege, que corre pela floresta a dentro. Você resolve segui-lo, pois é o único movimento se pode ver naquele local. Você corre rápido e pede para que ele o espere, mas ele parece estar atrasado para algo que não pode perder. E ele corre continuamente, mas parece sinalizar para que você o siga e então você segue. Mais a frente se pode ver um buraco escuro e ele entrou por ali. E você decide o seguir. Lá dentro tudo tão escuro. Parece ate o ventre da Deusa de onde toda a vida surge. Sim, você está tendo a chance de voltar ao útero de onde veio e quem está a ti aguardar?...
Você avista um ponto de luz e vai até ele. Chegando ao mesmo parque que estava. Mas agora tudo tem vida... As flores, os pássaros, os animais, frutas e muito mais...
Veja, há uma menina ruiva, vestida de verde, seu vestido parece musgo que nasceram de uma rocha úmida, borboletas voam ao seu redor e seu perfume é de flores. Ela está sentada mais a frente, e curioso você decide ir ver o que esta menina faz, você ouve risadas, parece que um menino também jovem corre ao seu redor, se escondendo por entre as árvores.
Chegando até ela você percebe que ela está decorando ovos com folhas, flores, tons da natureza. E são belas suas artes. Você senta-se com ela e ela sorri para você e lhe entrega um ovo branco como a neve e você ouve uma voz dentro de seu ser dizendo:
“Este é meu mistério. Minha chave para alcançar o interior dos homens. Sou a matéria através da qual tudo se torna real. Por isso coloque aqui seus sonhos. Eu vou realiza-los para você. Mas lembre-se peço algo em troca. Sejas feliz. Porque sua felicidade é a matéria através da qual eu me torno real. Abençoado sejas meu filho (a).”
Você sente algo tão profundo. Uma sensação de amor incondicional e sorri em retorno. Note que seu ovo, pela força de seu pensamento começa a ser decorado com suas intenções mais profundas. Serão estas iguais àquelas que você acabou de decorar seu ovo? Tente identificar os símbolos e cores. Em seguida ela pede que você vá ate uma árvore à frente de vocês. Uma árvore tão bela e florida. E ela diz:
“Coloque o aqui. Este é o meu útero por onde suas idéias brotarão e floresceram. Mas lembre-se você deve deixar que esta planta cresça em seu coração para que estejamos unidos. Pois este é mais um mistério meu. Meu ser jubila junto com o seu. Você faz parte de mim. Conheço os seus desejos mais profundos e você precisa confiar em você mesmo. Seja feliz meu filho (a).”
E ela pega sua mão e vocês começam a rodar, alegres e rindo sem motivos porque viver já é um bom motivo para ser feliz. Estar aqui e ter a chance de conhecer os Deuses. Vocês giram, giram, giram até que vocês caem no chão. Mas agora você está aqui de volta conosco. Sinta seu corpo. Sinta a mesma felicidade que havia sentido. Estendam seus braços e pernas.
Agora é hora de retornar. Quando eu contar até três vocês abrirão seus olhos estarão volta aqui comigo.
1...2...3...

Decoração sugerida
Decore seu altar com velas coloridas, como: verde, amarelo, dourado, rosa e outras cores vivas. Espalhe gemas (pedras) sagradas deste Sabá como: ametista, água-marinha, jaspe vermelho, quartzo branco, rosa e verde, ágata, amazonita e citrino.
Objetos: ovos pintados, flores frescas, imagens de coelhos, ninhos com ovos, borboletas e imagens de pássaros.
Cores: verde, amarela, branca.
Incensos: aromas florais e adocicados, violeta, lavanda, jasmim, rosa, manjerona, verbena, mel, morango.

Artesanato sugerido
Ovos Cozidos Decorados – deverão ser comidos após o ritual, atirados no fogo do ritual ou enterrados próximos a uma árvore frondosa como oferenda a Deusa.

Material:
1 dúzia de ovos cozidos
Tintas de cores diferentes
Pinceis

Os ovos serão o meio de comunicação entre você e os Deuses, por isso nós lhe aconselhamos a fazer um estudo antecipado sobre:
Ø      Símbolos Rúnicos
Ø      Símbolos Sagrados na Wicca
Ø      Numerologia Básica
Ø      Alfabeto Oghan
Ø      Alfabetos Mágicos, como por exemplo: Alfabeto Tebano
Ø      Significado das Cores

Deixe a mão de todos os seus convidados: tintas de todas as cores, pinceis e vasilhas com água.
Cada pessoa deve pintar seu ovo com o pensamento claro de seu desejo e se entregar em plena alegria. Após pintados deixe secar e decore o altar com os ovos.

Prato sugerido
Prato Salgado
Salada Tropical com molho agridoce e Ovos Recheados de Ostara
Tempo de Preparo: 1h 40 minutos, Rendimento: 12 porções.
Ingredientes:
Salada
¬     1 ramo de alface;
¬     1 ramo de rúcula;
¬     1 maço de agrião;
¬     ½ repolho roxo;
¬     2 mangas grandes;
¬     ½ melão;
¬     4 tomates;
¬     3 pimentões;
¬     3 cenouras;
¬     1 pacote de uvas passas;
¬     Manjericão;
Molho
¬     8 colheres de maionese;
¬     Vinagre branco a gosto;
¬     2 colheres de Mostarda;
¬     Azeite a gosto;
¬     1 colher de açúcar;
¬     Sal a gosto;
¬     Pimenta e outros temperos a gosto;
Ovos Recheados
¬     1 dúzia de ovos;
¬     2 xícaras de maionese;
¬     1 colher de sobremesa de açúcar refinado;
¬     ½ xícara de Vinagre de Maça;
¬     Sal e temperos a gosto;

Preparo:
Salada:
Lave bem todos os ingredientes, pique e coloque em uma travessa grande.
Molho:
Misture os ingredientes e vá experimentando o tempero até o ponto desejado.
Ovos Recheados:
Cozinhe os ovos até que fiquem duros, mais ou menos 25 minutos. Tire os da água fervente e retire a casca sob água corrente fria da torneira. Corte todos os ovos longitudinalmente pelo fundo até alcançar a gema e retire-as sem destruir a estrutura do ovo. No liquidificador, bata as gemas, a maionese, o vinagre e o açúcar e vá temperando com sal e temperos a gosto. Bata até ficar cremoso. Encha a estrutura do ovo com o creme que fez usando uma bolsa de confeiteiro (ou o fundo de um saco plástico). Tampe com a ponta que cortou e coloque os ovos entre a salada.

Prato Doce
Pão de Mel
Tempo de preparo: 1h, Rendimento: 35 porções.

Ingredientes:
Massa:
¬     1/2 copo de açúcar mascavo;
¬     1 copo de açúcar cristal comum;
¬     4 colheres (sopa) de chocolate não pode ser achocolatado;
¬     4 copos de farinha de trigo 250 ml;
¬     1 copo de leite 250 ml;
¬     2 copos de chá do mel;
¬     1/2 copo de leite 125ml (dissolver);
¬     1 colher de bicarbonato de sódio;
¬     1 copo de mel 250ml;
¬     2 copos de água 500ml;
¬     1/2 copo de açúcar, usar o mesmo copo;
¬     Cravo, canela em pau e erva-doce.
Recheio: (opcional)
¬     2 latas de leite condensado;
¬     Ou 2 latas de doce de leite;
¬     Ou 2 latas de geléia.
Cobertura:
¬     1 e 1/2 barras de chocolate meio amargo ou ao leite.

Preparo:
Coloque os ingredientes secos em uma bacia grande (farinha de trigo, açúcar mascavo, açúcar cristal e chocolate), misture bem. Acrescente o leite e o chá e mexa mais um pouco. Por último o leite dissolvido e o bicarbonato. O chá de mel tem que ferver durante 20 minutos, coar e deixar esfriar bem, senão cozinha a massa e não dá certo. A massa fica mole, mas fica grossa, parecendo massa de bolo. Despeje em formas de empada individuais até o meio (porque crescem muito), forma bem untada com bastante óleo. Leve ao forno pré-aquecido à 200° por 10 minutos. Depois veja o ponto, coloque a ponta do dedo o polegar no centro de uma delas, se não grudar já está assada. Fique atento porque assa rápido. Deixe esfriar e corte ao meio, sem desgrudar os lados. Recheie com aquele que preferir e depois derreta o chocolate. Passe nos pães com um pincel ou garfo para que fiquem bem cobertos e coloque para secar no papel alumínio.

Ritual sugerido
Aqui sugeriremos um passo a passo para celebrar seu ritual, os quais poderão ser adaptados de acordo com sua necessidade tendo um toque dos participantes do ritual.

Material necessário:
¬     1 caldeirão;
¬     Margaridas;
¬     9 velas verdes;
¬     13 velas amarelas;
¬     O pentáculo;
¬     Incenso de jasmim;
¬     1 taça com leite;
¬     Ovos cozidos, com as cascas pintadas e em um prato;
¬     Pétalas de rosas brancas.

PROCEDIMENTO:
Acenda os incensos, encha o caldeirão com as margaridas e circunde-o com as 9 velas verdes.
Coloque o prato com os ovos sobre o altar. Faça um círculo com as 13 velas amarelas, de forma que você fique dentro dele. Acenda as vela e consagre o Círculo Mágico de forma normal. Então diga:

“A Senhora da Primavera anunciou a sua chegada. Que a vida possa nascer das sementes. O Sol e a Lua terão agora a mesma duração. Que a Grande Mãe e seu filho o Deus Cornífero sejam abençoados, por continuarem girando a Roda da Vida com perfeição”.

Espalhe as pétalas de rosas pelo Círculo, dizendo:

“Para que volte a nascer a vida, para que volte a brilhar o Sol eu te invoco e te chamo Senhora da Terra”.

Vá até o caldeirão e acenda as 9 velas verdes que o circundam. Então eleve suas mãos aos Céus e diga:

“Que o caminho seja iluminado para a Primavera passar. Oh, Senhora das Flores e Senhor do Sol que os pássaros possam cantar, que as flores possam crescer, que à cada dia tenhamos alegria e prazer de viver”.

Pegue o pentáculo, eleve-o aos céus e dê 9 voltas ao redor do caldeirão repetindo por 9 vezes a seguinte afirmação:

“A Primavera renasceu, que a vida floresça, que a dança cósmica da natureza para sempre permaneça!”.

Vá até o altar e pegue o prato com os ovos. Eleve-os em sinal de apresentação, dizendo:

“Bendita seja sua força oh Deusa que dá a vida, pois sagrado é o seu poder. Que a Terra seja gratificada através de sua união com o Deus das florestas. Abençoada seja Tu criadora celeste”.

Feito isto, descasque um dos ovos e coma-o. Se preferir atire-o ao fogo para que a Deusa o receba no astral ou enterre-o nos pés de uma árvore. Pegue o cálice com leite e eleve-a dizendo:

“Leite nutridor, leite de força e poder, ofereço-o aos Deuses em sinal de agradecimento pelas graças alcançadas”.

Tome 3 goles do leite e derrame um pouco sobre o chão. Então diga:

“Abençoadas sejam as forças da Primavera que chegou. Que assim seja e que assim se faça”.

Destrace o Círculo Mágico.

(fonte: WICCA para todos de Claudiney Prieto)

terça-feira, 13 de setembro de 2011

1ª Celebração de Handfasting do Coven Tuatha de Danan

Coven Tuatha de Danan

Realiza na data de 12 de Agosto de 2011 sua primeira Cerimônia de Handfasting.
A noiva é wiccaniana iniciada no grupo e seu noivo lhe acompanha neste caminho desde o inicio e eles escolheram serem abençoados diante de familiares, amigos, convidados e dos Deuses Antigos.
A cerimônia foi realizada pela Alta Sacerdotisa e pelo Sumo Sacerdotes também iniciados no grupo.
A Alta Sacerdotisa diz:
...Handfasting significa “junção das mãos”. É como chamamos na wicca o casamento entre duas pessoas... muito importante para os seguidores da Religião Antiga... marca um momento de transição na vida de duas pessoas. As pessoas envolvidas saem do círculo dos solteiros para entrar no dos casados. Isso implica novas responsabilidades e expectativas.
Mas o handfasting é um rito de passagem voluntário, uma decisão livre e consciente entre duas pessoas de transformarem suas vidas...

Os padrinhos, representando seus amigos lhes presenteiam com dádivas concebidas pelos 4 elementos: Fogo; Água; Ar e Terra.

O Sacerdote diz:
...O poder do círculo reside em tudo na vida... A vida também é um grande círculo sem começo nem fim... Estas alianças possuem a forma de círculo e, como ele, não possuem começo nem fim...

A Sacerdotisa afirma:
...A partir de hoje vocês estão unidos pelo amor e se tornam uma só alma e um só coração...Pelos nós desta corda, seja o seu amor unido....

Os noivos confirmam:
...Assim como o cálice é o principio feminino e o athame é o principio masculino, juntos eles representam a união sagrada. E assim como foi no princípio, assim nos unimos pelo amor...

A sacerdotisa abençoa:
...Pelo poder da Deusa e de seu Consorte, com a bênção dos elementos, eu os declaro marido e mulher pelo tempo que viverem juntos....

A união da Deusa e do Deus assim representado pela união do Athame e do Cálice se repete na vassoura, símbolo de fertilidade.



















Vejam reportagens sobre a celebração nestes links:
Assistam ao video neste link:

video

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Os 8 Sabás da Roda do Ano


Imbolc – Hemisfério Sul, 1° de Agosto

Descrição
Festival do fogo, também chamado de Oimelc, que celebra a chegada da Primavera. Sabá dedicado a Brigid, Deusa do panteão Celta, conhecida como a Deusa do fogo inspirador, da poesia, do lar e família, das fontes sagradas, da sabedoria, divinação, profecias, cura e fertilidade.
Neste Sabá nos preparamos para novos começos e crescimento individual, simbolicamente fazendo uma limpeza do antigo e consagrando as ferramentas para um novo plantio (idéias). Ele celebra a luz nas trevas. Momento ideal de banirmos nossos remorsos, culpas e planejarmos o futuro.
A Deusa está cuidando de seu bebê, a Criança do Sol (o Deus). Ela e seu filho afastam o inverno e o Deus cresce forte e poderoso.
Geralmente é solicitado que a Sacerdotisa mais nova usando uma brilhante coroa de 13 velas no topo da cabeça represente a jovem Deusa Brigid. As muitas velas representavam o poder e a luz do sol que se aproximava com a chegada da primavera.
Os antigos povos da Europa celebravam este Sabá com uma procissão à luz de archotes para purificar e fertilizar os campos antes da estação do plantio das sementes e para glorificar as várias deidades e os espíritos associados a esse aspecto, agradecendo-lhes.
A versão cristianizada da procissão ficou conhecida como Candlemas, Candelária ou Purificação da Virgem Maria.
Palavra Imbolc significa “no leite”, pois marcava o período de lactação das ovelhas e gados na Europa, também é dito “no útero”, pois é onde as sementes se encontram em baixo da terra cheias de energia, aguardando somente o rompimento do gelo para florescer novamente.
Era o momento mais frio do ano onde não existia mais lenha disponível para as fogueiras, tão comuns nas celebrações dos Sabás maiores. Elas então tomavam forma nas procissões de velas, que percorriam o arado para purificar a terra para o plantio das novas sementes.
Um costume tradicional deste Sabá é colher um ramo verde e deixá-lo pendurado em algum lugar dentro de casa para abençoá-la com novas energias.
Este Sabá também honrava a Deusa como a noiva que espera o retorno do Deus Sol por isso na Irlanda, para honrar a Deusa Brigit em seu aspecto de noiva, os Celtas revestiam pequenas bonecas de pano com grãos e as fixavam em um lugar de honra dentro das casas como, por exemplo, em seus altares ou sobre as lareiras. Normalmente, elas eram colocadas em berços chamados de Camas de Noiva, símbolos de fertilidade.

Mini-mito drama
Conduza uma visualização aos seus convidados com um instrumento rítmico levando-os a uma viagem e não se esqueça de trazê-los de volta ao aqui e agora.
Fechem os olhos e sentem-se em uma posição confortável. Sintam um leve frio envolver vocês. Notem que tudo a sua volta é calado e escuro. Vocês estão no útero da Grande Mãe Terra. Metros e metros abaixo da superfície. Ela esta coberta por gelo para que possa repousar e deixar seus filhos renovarem suas forças para o que surgirá em breve. Há uma vontade enorme em vocês que fazem com que se movam para cima. Movam para cima como se buscassem algo. Sim, vocês buscam uma nova vida. Notem então que a terra a sua volta parece ajudar você a se erguer. É a Grande Mãe incentivando seus filhos em cada novo começo, e ela parece destruir tudo que possa lhe impedir de crescer. Em pouco tempo vocês alcançam o alto da terra e esticam seus braços como galhos que tentam se elevar ao céu. É possível notar agora algo diferente naquela escuridão. Uma leve cor roseada desponta no horizonte. Esta cor se torna cada vez mais avermelhada, passando ao laranja e então um forte amarelo se nota. A terra a sua volta começa a ser aquecida por aquela luz. E você reconhece o beijo do amor entre Eles e se sente abençoado (a) por aquela luz. É nosso Deus e ele veio lhe trazer a chance que você tanto aguardava. O momento de renascer. Agora Deusa e Deus de braços dados lhe chamam:
“Venha nascer minha criança. Você é o resultado de nossa união e por isso é abençoado (a) como nós.” Você então estende seus braços e se põe de pé para agradecer esta benção. Sintam a benção que vem de cima e de baixo. A união da Deusa e do Deus. E você é o centro deste amor. Através de você este amor existe. Curta este momento só seu e do Casal Divino. (Dê alguns instantes aos participantes)
Agora é hora de retornar. Quando eu contar até três vocês abrirão seus olhos estarão volta aqui comigo.
1...2...3...

Decoração sugerida

Objetos: coroa de velas, cama de noiva, pinha e boneca de palha, pedras de gelo em uma vasilha.
Cores: branca, amarela, vermelha, laranja.
Incensos: aromas mentolados e que lembrem limpeza, mirra, manjericão, cravo, pinho, alecrim.

Artesanato sugerido
Boneca de Imbolc – feita com lã (boneca tradicional é fabricada de ramos de trigo ou palhas secas de milho)
Material:
1 novelo de lã pequeno
Tesoura
Abra a mão esquerda e dê em torno de 30 voltas do dedo polegar até o dedo mínimo. Corte o fio. Entre o dedo polegar e indicador passe uma linha que amarre as voltas que você deu. Esta peça deve parecer o tronco da boneca formando no alto a cabeça e o restante o corpo. Deixe separado.
Abra a mão esquerda novamente e agora de em torno de 20 voltas do dedo polegar até o dedo médio. Corte o fio. Passe uma linha que amarre as voltas que você deu, mas agora amare em uma ponta e na outra. Esta peça deve parecer os braços da boneca.
Pegue a peça que forma a cabeça com o tronco da boneca. Passe uma linha que amarre as voltas que você deu, mas agora com um espaço de mais ou menos duas vezes o tamanho da cabeça. Pegue a peça que forma os braços da boneca e transpasse no centro do espaço que deixou para o tronco da boneca. No fim do fio no espaço maior abaixo que sobrou corte as pontas fazendo com que um vestido se abra. Sua boneca está pronta. Enfeite-a como desejar e coloque-a na cama com a minha no dia de Imbolc.

Prato sugerido
Prato Salgado
Couve-flor recheada com presunto e mussarela coberta com molho branco e gratinada ao forno.
Tempo de Preparo: 1h 15 minutos, Rendimento: 8 porções.
Ingredientes:
¬     1 couve-flor média;
¬     200 gramas de presunto;
¬     200 gramas de mussarela;
¬     4 xícaras de leite;
¬     3 colheres de sopa de farinha de trigo;
¬     ½ meia cebola;
¬     Noz moscada;
¬     Queijo parmesão;
¬     Sal e temperos a gosto.

Preparo:
Em uma panela que caiba a couve-flor escolhida coloque água e leve para ferver. Lave a couve-flor com vinagre e quando a água atingir fervura coloque-a dentro da panela e deixe até ficar no ponto “ao dente”.
Em outra panela frite a cebola no óleo até dourar. Dissolva a farinha de trigo no leite ainda frio e coloque na panela. Raspe noz moscada no molho e mexa até dar o ponto desejado.
Retire a couve-flor da água e coloque-a em uma travessa de alumínio. Enrole a mussarela com o presunto e corte em fatias e coloque os rolinhos entre os buquês da couve-flor. Cubra com o molho e salpique queijo parmesão e leve ao forno. Após uns 20 minutos retire, espalhe arroz branco e batata palha em volta e sirva.

Prato Doce
Coalhada “Síria” com Mel
Tempo de preparo: de um dia para o outro, Rendimento: 12 porções.

Ingredientes:
¬     Leite fresco;
¬     Isca de coalhada;
¬     Mel puro.

Compre no supermercado mais próximo uma isca de coalhada. Ferva o leite fresco e dissolva a isca no leite. Deixe descansar coberto de um dia para o outro e quando atingir o ponto de coalhada leve a geladeira. Sirva com meu puro.

Ritual sugerido
Aqui sugeriremos um passo a passo para celebrar seu ritual, os quais poderão ser adaptados de acordo com sua necessidade tendo um toque dos participantes do ritual.

Material necessário:
¬     1 vassoura de palha
¬     1 caldeirão
¬     Álcool
¬     Velas vermelhas
¬     1 Pote com sal
¬     Incensos de mirra
¬     1 vela preta, 1 branca, 1 vermelha
¬     O bastão mágico
¬     1 pequena boneca de tecido recheada com manjericão
¬     1 taça com vinho
¬     1 Estaca de madeira

PROCEDIMENTO:
Separe algumas velas vermelhas, espalhe os incensos e o resto das velas por todo local onde será realizado o Sabá. Acenda as velas e os
incensos. Coloque o caldeirão no meio do Círculo e despeje o álcool dentro do mesmo. Acenda o caldeirão cuidadosamente com uma das velas. Disponha então, as velas preta, vermelha e branca em forma de triângulo sobre o altar. Coloque a boneca no meio do triângulo de velas e o cálice com vinho abaixo da boneca.
Acenda as 3 velas. Lance o Círculo Mágico de maneira normal. Comece então a varrer o Círculo energeticamente, sem que a vassoura toque o chão. Na realidade você vai varrer o ar, pois a vassoura deve ficar um pouco acima do solo. Diga:

“Grande Deusa em seu nome eu limpo e varro este Círculo para que todas as energias maléficas sejam afastadas. Que sejam varridas deste Círculo a mágoa, o ódio, o rancor, insatisfações, obstáculos e dificuldades de minha vida. Em seu nome eu abro caminho e abençôo este lugar. Que assim seja e que assim se faça”.

Pegue o sal e comece a despejá-lo em volta do Círculo, dizendo:

“Com o sal eu consagro, com o sal eu purifico, com o sal eu abençôo este Círculo”.

Segure o bastão com a sua mão de poder (a mão que você escreve) e comece à andar em volta do Círculo no sentido horário, elevando o bastão acima de sua cabeça, então diga:

“Brigit, Senhora do fogo, venha presenciar esta cerimônia. Oh, Deusa da poesia e da inspiração, Druidesa encantada da Lua Cheia. Senhora que cura e guerreia, Grande Mãe da beleza de todas as coisas da Terra, Senhora do fogo primaveril, abençoada seja você Deusa Tríplice, Senhora de amor e sabedoria”.

Coloque o bastão novamente sobre o altar. Pegue a Estaca e vá até o caldeirão, bata firmemente por 3 vezes a base da Estaca no chão e então diga:

“Que ele venha das montanhas, vales, bosques e prados. Oh, Senhor de todos os animais, venha grande fecundador do universo. Deus que ilumina e traz vida, regente dos céus e das estrelas, Galhudo das florestas, Senhor de tudo que existe e do que há de vir. Venha iluminar o mundo. Que o caminho seja aberto e que a Primavera possa passar. Sem a primavera não haverá o nascimento da luz, sem a luz não haverá fertilidade sobre a Terra. Abençoado seja você, Senhor da fartura e da prosperidade”.

Coloque a Estaca atrás do altar. Eleve a boneca aos céus e diga:

“Que neste dia, a luz da Deusa e sua benevolência chegue a todos”.

Encaixe a boneca na forquilha da Estaca, dizendo:

“Brigit chegou, seja bem vinda. Brigit chegou, seja abençoada. Brigit chegou, seja bem amada”.

Comece a andar em volta do caldeirão, dizendo sem parar:

“A luz da inspiração vai crescer, pois Brigit traz vida a cada amanhecer”.

Dirija-se até o altar, olhe fixamente para a boneca, eleve suas mãos aos céus e diga:

“Que a união de Brigit e do Deus tragam prosperidade à Terra”

Pegue as velas vermelhas que não foram acesas e que separadas no início do Sabbat e sopre 3 vezes seguidas sobre elas e diga:

“Que pela força deste sopro mágico, a energia dos Deuses Antigos seja transmitida a estes símbolos de iluminação. Que estas velas possam ajudar todos aqueles que delas fizerem uso”.

Pegue o cálice de vinho e dirija-se até o caldeirão. Beba 3 goles de vinho e diga:

“Pelo poder do 3 vezes o 3 eu bebo este líquido mágico em nome de todos os Deuses Antigos”.

Derrame um pouco do vinho no interior do caldeirão, dizendo:

“Que a Terra seja fortalecida, oh Senhora da Lua de Prata e Deus dos Caminhos. Esta libação é feita por vós e em vossos nomes. Que assim seja e que assim se faça”.

Destrace o Círculo Mágico.

(fonte: WICCA para todos de Claudiney Prieto)